Bora assistir um filmezinho de C.R.I.A para fechar o dia?

Curtas desenvolvidos por jovens de baixa renda do Catete já estão disponíveis no Youtube do Movimento TTK

Quatro olhares sobre o território do Catete no período da pandemia. Quatro jovens. Quatro narrativas audiovisuais completamente distintas. Está no ar o resultado da primeira oficina de audiovisual não-elitista desenvolvida pelo Movimento TTK, através do projeto C.R.I.A – Cultura de Rua Impulsionando Adolescentes. 

Clique aqui e assista aos filmes. 

Ao longo do mês de fevereiro, o projeto C.R.I.A. do TTK – Edição Especial Aldir Blanc, selecionou e direcionou Lívia, Matheus, Naôr e Thaís para que tivessem seus primeiros contatos com o universo da fotografia e da produção audiovisual. Foi um período intenso, e de muitas descobertas, que passou por mentorias de Estética do Audiovisual (com Cristiano Conceição), Economia Criativa e Patrimônio Material/Imaterial (com Felipe Ali Milhouse), Roteiro (com Nadya Nina) e Terrirório – Catete (com Ricardo Melo). 

O resultado dessa trilha formativa são quatro curtas lançados no novíssimo canal do Movimento TTK no Youtube, apresentando poesia, documentário, ficção, arte, cultura e pertencimento territorial. Toda a captação de imagens, direção, roteiro e edição foi desenvolvida pelos jovens, com suporte da equipe de mentores e do oficineiro do projeto C.R.I.A, Ronaldo Nina.

Em breve um e-book com metodologia de formação técnica, além de um relatório completo de tecnologia social, poderão ser acessados no site oficial do Movimento TTK em www.movimentottk.com.br.

 

Confira abaixo a sinopse dos curtas

“Casa Nem”

O Catete é um bairro que acolhe a todos, assim como a Casa Nem acolhe jovens LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade social. Este filme é uma história de luta, resistência e amor, sob o olhar da jovem diretora Lívia Krober, C.R.I.A. do TTK. 

“Casarão 465”

Os primeiros que chegaram aqui foram despejados de uma ocupação no Catete mais de 30 anos atrás. Esta casa pertencia a apenas um morador sem herdeiros, e hoje é o lar de muitas famílias, com tios, sobrinhos, cachorros e até galinhas dividindo o mesmo ambiente. Como disse Dona Maria Guedes às lentes do celular de Naôr Moraes Martins, o jovem diretor e C.R.I.A. do TTK: “aqui dentro todo mundo é vizinho-família” 

“Cotidiano de um favelado”

“Quem mora na LaVeFa, ou favela (na língua do TTK), também é gente, é inteligente, e tem bom astral. Não é todo favelado que é capa de jornal…” Este curta mostra a rotina da Thaís, C.R.I.A. do morro do Santo Amaro, no Catete, com pura poesia. Entre o corre e a pandemia, ainda há tempo de apreciar a vida.

“Dois lados da estória”

O que restou daquele TTK que conhecíamos? Restou a saudade de jogar futebol e basquete nas quadras do Aterro; de resenhar com geral pela pista; de curtir um dia de sol no brejo lotado. O curta mostra a perspectiva do Catete antes e depois da pandemia, sob o olhar do C.R.I.A. Matheus Farias. 

 O objetivo do Movimento TTK é criar uma série de ações afirmativas para potencialização e desenvolvimento do jovens moradores do bairro do Catete, no Rio de Janeiro, contribuindo para o pertencimento territorial, a promoção da cultura de rua carioca e a arte como forma de inclusão social. É o TTK, néma!

 

Sobre o C.R.I.A. do TTK- especial Aldir Blanc

O programa C.R.I.A. DO TTK – Especial Aldir Blanc é uma iniciativa da Urba Na Mente Ltda, em parceria institucional com o Instituto Pró-Brasil e patrocínio da Estácio, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro/Secretaria Municipal de Cultura e da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo e do Governo Federal.

Comentários Facebook

Deixe um comentário