Rodrigo Zin lançou álbum “Grana Azul” seu mais novo projeto

Rodrigo Zin lançou álbum “Grana Azul” seu mais novo projeto

Em um movimento ousado, o cantor, compositor e produtor musical curitibano Rodrigo Zin lançou um trabalho conceitual e cheio de storytelling no seu novo álbum, explorando ideias únicas dentro de 15 faixas que compõe seu terceiro álbum batizado “Grana Azul”.

O novo álbum “Grana Azul” caminha entre o alternativo e o pop com influências da MPB e até da música gospel para contar uma distopia que se reflete no Brasil atual. Com participação de nomes incensados da cena nacional como Aka Rasta, Delatorvi, FBC, Gabz, WIU, Sotam, Tuyo, niLL, Negus, Isabelle Assumpção, Scarp e mais. Além de trazer instrumentais por Celo, Chediak, 808 LukeTan Beats, Rob e Ardlez.

Rodrigo Zin fez de seu novo trabalho um épico rap sobre um mundo pós-apocalíptico e sua relação com o afeto e perdas das pessoas. É uma realidade de um planeta sem água, com humanos sujos que só vivem pelo dinheiro e tentam sobreviver sob um céu vermelho, este manchado pela poluição das empresas.

 

Ouça o álbum “Grana Azul” na principais plataformas digitais.

Álbum “Grana Azul” une RAP e MPB com influência de animes, ficção e RPG

Vagando no deserto, o personagem Imortal narra toda a sua história ao lado de um Rei Caído que idolatra os três pilares – A Vida, A Morte e A Grana Azul. A Vida e A Morte cuidam dos portões do Céu, cercados por anjos que cantam em conjunto, assim, suas vozes formam corais, os quais são possíveis de ouvir a todo instante no disco, recheados de melancolia e esperança. E a Grana Azul, o pedaço de papel com o valor mais alto, é o novo deus que a humanidade criou. O dinheiro não tem valor, mas os humanos ainda não perceberam isso”, explica Rodrigo Zin.

Unindo MPB com trap em seu rap experimental, Rodrigo Zin é uma das revelações do hip hop nacional. Designer de formação e interessado por artes visuais desde a infância, sua jornada na música, artes e hip hop surgiram juntas. Zin começou a compor letras de rap e rock no começo da adolescência, seja criando histórias ou se influenciando pelo mundo à sua volta. Com o passar dos anos, foi se dedicando aos estudos de produção musical e vocal e encontrando a sua voz.

Hoje, o artista mistura a poesia do cotidiano de nomes da MPB como Los Hermanos e Cícero com a brasilidade de Criolo, a produção recheada de samples no estilo Papatinho e Kanye West e a busca pelo novo de artistas como Donald Glover/Childish Gambino, Frank Ocean e Jaden Smith. Essa mistura de referências se reflete no disco.

O que me motivou a criar esse universo foram os RPGs online que eu jogava e os animes que eu assistia. Sinto que esse disco significa que finalmente o meu trabalho chegou em um nível profissional de respeito. Não são mais sons que eu fiz no meu quarto e lancei de qualquer jeito. São sons que montei ao lado de produtores e uma equipe de confiança com um planejamento, para quando serem lançados, atingirem o topo e o ouvidos de milhares de pessoas que possam se identificar com meu trabalho”, diz ele.

Deixe uma resposta