Rappin Hood tem texto sobre matéria de Sabotage editado

O texto publicado pelo jornal O Estado de São Paulo, foi, de acordo com o rapper Rappin Hood, alterado antes de ser publicado.

rappin hood e sabotage

Segue texto original, sem edições:

“Sabotage: das ruas do Brooklyn para o mundo

Em meados de 1986, o rap brasileiro ainda era um embrião que você só escutava em bailes de periferia feitos por equipes como Chic Show, Black Mad, Zimbabwe, Circuit Power entre outras e foi nessa atmosfera que conheci Sabotage. Todas as quartas no extinto Clube da Cidade ali na Barra Funda rolava o Clube do Rap e Maurinho sempre aparecia por lá. Nessa fase, final da década de 80 tínhamos realmente poucas opções e meu mano Sabota sumiu na neblina e foi fazer outros corres. Após algum tempo, fiquei sabendo de um cara que ganhava todos os concursos de rap lá pros lados de Interlagos, um dia fui até lá num baile e pude conferir, era ele, SABOTAGE.

Nossa amizade era pura e verdadeira, cristalina e sempre que nos encontrávamos era uma festa, nesse dia, ele sorriu e me disse: -Um dia vão nos reconhecer Hood!

Isso aconteceu mais ou menos em 1992, 1993 e mais uma vez ele sumiu. Já em 1998, me lembro como se fosse hoje, o Posse Mente Zulu havia lançado seu primeiro cd e a música Sou Negrão estava tocando nas rádios, na MTV e fazíamos muitos shows, era um sabadão, teríamos 3 shows naquela noite. O primeiro seria na Casa de Cultura Chico Science ali no Ipiranga nossa quebrada e ao chegarmos lá, Maurinho apareceu e perguntou: “-Você lembra de mim?” Eu respondi: “-Sabotage, poxa negrão você some!” Ele me disse:”-Tô no 12, tá ligado, mas ainda faço rap”.

Nesse dia, ele me deixou o número de um bip e falou que ia me entregar uma fita demo, subiu no palco comigo e com Johnny M.C., dali iríamos para o Club House em Santo André, um baile da equipe Kaskatas, ainda lembro eu na van comentando com DJ Marco: “- Saudade desse loco do Sabota, ele tem umas rimas locas mas sempre some!” Me lembro também que nesse dia a Dalva, esposa dele estava junto, eles se despediram e eu fiquei super a fim de ouvir a tal fita cassete.

Nesse tempo uma das bandas que tínhamos muita amizade era o RZO, Helião, Sandrão e toda rapa de Pirituba eram sempre essenciais nas festinhas de rap em SP cantando seu sucesso “O TREM”. Sabota foi um dia num show deles e se apresentou ao mano Sandrão falou que era meu amigo e mostrou suas rimas, Sandro me telefonou no dia seguinte dizendo: “-Conheci um parceiro teu, um tal de Sabotage que rima muito, monstrão ele!” Eu ri pois já o conhecia da antiga, Sandrão falou com a Cosa Nostra que era a gravadora dele no tempo e ficou resolvido: “-Maurinho vai gravar um cd!”

O restante da história todos conhecem, o cd Rap é Compromisso é um clássico do rap nacional, discoteca básica para todos os rappers, um disco onde os melhores estavam envolvidos em prol do escolhido mano Sabota.

Um cara que fazia rap muito bem, com o coração e que merecia uma chance: RACIONAIS, RZO, CÓDIGO FATAL, BLACK ALIEN, SNJ, TRILHA SONORA DO GUETO, POTENCIAL 3, RAPPIN HOOD, NEGRA LI, DBS, CHORÃO DO CHARLIE BROWN JR e a rapa do INSTITUTO estavam ali a serviço do MAESTRO DO CANÃO. Respeito é pra quem tem e ele tinha muito.

Após isso virou um mito do hiphop brasileiro.

VIVA SABOTAGE!!!

Rappin Hood 16/01/2015”

Veja a matéria editada clicando aqui.

Comentários Facebook

Deixe um comentário