Ouça “Não Escute Meus Raps”, nova faixa do Don L

Ouça
Avalie este post

Música propõe uma reflexão e desconstrução da imagem de case sucesso, muito comum no rap atual

É muita treta ser Don L. A sensação de não pertencimento, uma ambição que não cabe no peito, a vontade de meter os dois pés na porta e o questionamento de tudo o que está ao seu lado são alguns dos temas que contribuem com os ideais que formam o MC. E veja bem, estes são só alguns dos assuntos que ele canta sobre em “Não Escute Meus Raps“, faixa lançada na última quarta-feira, dia 24 de abril de 2019 e primeiro single do artista em 2019.

Como é de se esperar do rapper, o som não é apenas um modo de Don L se assumir e colocar as cartas na mesa — ele cobiça o topo e acha tudo plástico —, mas também uma forma de ironizar um modelo preestabelecido no rap, que trabalha com uma espécie de case de sucesso e que é repetido em looping por outros artistas. Em “Não Escute Meus Raps“, o rapper sugere a reflexão e a desconstrução dessa imagem, para chegar em outro caminho.

Acho que eu sempre tive essa dose de ironia na minha obra. A vida real é assim, cheia de contradições, coisas que você não pode aconselhar pra ninguém mas faria de novo. Acho importante essa desconstrução desse lance de “cases de sucesso”, do cara que tem foco na vida, que sabe o que quer. Essas idéias são repetidas um milhão de vezes e só levam pro mesmo caminho, porque é o único caminho conhecido. Eu não sei de outro caminho também, tô descobrindo ainda“, conta Don L.

Mesmo que esteja em um processo de descobrimento de qual é o melhor caminho para si, o rapper já tem na cabeça o que não quer: repetir a estrutura de sempre. “O que sei é que não quero reproduzir esse caminho que já foi trilhado um milhão de vezes e não mudou nada, muito pelo contrário, só trouxe repetição das mesmas histórias. Ao mesmo tempo, eu também não posso dizer que o meu caminho é o certo“.

A música recebeu um lyric feito com artes que se relacionam com o som feitas pelo Flávio Oliveira e que teve animações criadas por Marco Teixeira. Novamente, Don L inova e propõe algo pouco usual dentro do rap, assim como no lançamento de Caro Vapor, em 2013, quando contou com fotografias de diferentes artistas para ilustrar os vídeos de suas músicas no YouTube.

Tenho vontade de fazer muito mais nesse sentido, de acrescentar artes visuais e ir até além disso, para adicionar outra camada do que eu quero que as pessoas sintam com meu som. Uma outra camada de sentido, outra camada de experiência. Eu e minha equipe estamos sempre fazendo o máximo que podemos com o que temos em mãos, criando tendências com isso. É sempre uma satisfação elevar o nível“.

Ficha técnica de “Não Escute Meus Raps”

  • Beat por Deryck Cabrera
  • Produzido por Deryck Cabrera e Don L
  • Mix por Luiz Café
  • Ilustrações de Flávio Oliveira
  • Animação de Marco Teixeira

Sobre Don L

Don L é um dos nomes mais prolíficos e interessantes do rap brasileiro. De Fortaleza, lançou em 2007 com o Costa a Costa o disco mais importante daquele ano: Dinheiro, Sexo, Drogas e Violência de Costa a Costa. Não à toa eles levaram o Prêmio Hutúz duas vezes. A mixtape é lembrada até hoje por artistas como Emicida e Diomedes Chinaski, que já revelaram a grande influência do trabalho em suas carreiras. Depois da dissolução do grupo, ele não parou.

Em 2013, depois de vários singles, incluindo “Enquanto Acaba“, com participação de Flora Matos, Don L colocou nas ruas seu primeiro trabalho solo, a mixtape Caro Vapor – Vida e Veneno de Don L, que recebeu destaque em vários veículos de comunicação, como IG, VIP, Rolling Stone e VICE. Seu show de lançamento, no SESC Pompeia, mobilizou centenas de fãs em São Paulo em um dia que não havia ônibus na cidade por causa de uma greve.

Quatro anos depois, trabalhando incessantemente e colaborando com outros artistas, como o lendário Black Alien na faixa “Brisa Fria“, do filme O Escaravelho do Diabo, Don L lançou o primeiro disco da trilogia Roteiro pra Ainouz. O álbum novamente foi considerado por muitos críticos como um dos trabalhos mais autênticos e relevantes do rap desta década. Experimentando e dando um tom confessional às suas músicas, o MC cravou de vez seu nome na história do Hip-Hop nacional.

Don L pós-RPA3

Em meio a produção do segundo volume da trilogia, Don L continua escrevendo e produzindo. Em 2017 participou do Poetas do Topo 3.1, sendo o maior destaque daquela cypher. Neste ano, voltou a fazer uma parceria com a Pineapple e novamente foi o grande nome no Poesia Acústica #5, que cativou artistas como Marília Mendonça. Recentemente, gravou a faixa “Verso Livre / O Mundo É nosso Pt.2” para o canal Rap Box, foi protagonista na música “Blogueira”, do novo disco do Froid, o MC mais relevante na canção “Lei Rua Neles” e participou da aguardada mixtape do seu parceiro Nego Gallo em “No Meu Nome“.

Deixe uma resposta