Krawk e os desafios enfrentados pelos artistas independentes na era dos streamings


A popularização do streaming abriu portas para diversos artistas independentes. Antes limitados principalmente às lojas digitais e rádios, com as plataformas esses artistas ganharam uma forma mais democrática de mostrar suas criações para um público mais amplo. gravadoras e distribuidores de música, como Distribuição Sinfônica, também conquistou seu espaço, desempenhando um papel importante na descoberta e desenvolvimento de novos talentos. Há muitos exemplos, incluindo o caçador paulista Crawk.

Sua carreira artística começou em 2017, quando Crawk participou de batalhas improvisadas e ganhou fama ao conquistar títulos paulistas e regionais, além de figurar no top 3 nacional daquele ano. Logo depois, lançou seus primeiros singles, “lazer do chefe” e “Desta vez”, e em 2019 estreou seu primeiro EP, que alcançou mais de 32 milhões de streams nas plataformas digitais.

Foi quando surgiu a oportunidade de assinar com Distribuição Sinfônicauma plataforma independente de distribuição de música digital, onde lançou seu primeiro álbum de estúdio, “Wally“, no ano passado. Com mais de 50 milhões de visualizações nas plataformas, o álbum se tornou o nome de Crawk como uma grande revelação do trap brasileiro. “É um orgulho muito grande ver tudo o que conquistei nestes anos de carreira, principalmente quando olho para trás e vejo de onde vim”, diz o caçador.

Na última sexta-feira, dia 15, Crawk lançado por Sinfônico um novo single. “playboy” é uma parceria com um dos maiores nomes da música urbana brasileira, Hungria Hip Hope será incluído na edição deluxe de “Wally”, que estreia ainda este ano.

Comentários Facebook