Edi Rock lançou seu terceiro álbum solo “Origens” pela Som Livre

Edi Rock lançou seu terceiro álbum solo “Origens” pela Som Livre
Avalie este post

“Origens” terceiro álbum solo do membro dos Racionais MC’s, traz gêneros diversos para o universo do hip-hop

O rapper integrante do Racionais Mc’s, desbrava horizontes musicais até então guardados em sua imaginação e vontade. Na prática, o artista entrou em estúdio para explorar suas afinidades e influências sonoras adquiridas ao longo de sua caminhada, sendo boa parte dela empunhando o microfone pelos palcos do Brasil e mundo afora, sempre distante dos holofotes da indústria fonográfica.

O álbum “Origens” conta com 14 faixas e foi lançado plataformas digitais nas nesta sexta-feira, dia 09 de agosto de 2019. A capa do disco é uma tela pintada pelo artista plástico Alexandre Keto, com design de Javier Salazar, estampada com nomes de referências para o músico: Thaíde, Martin Luther King, Marielle Franco, Bezerra da Silva e Beth Carvalho, entre outros.

O disco se chama ‘Origens’ porque fala da minha história, minhas influências e referências na música. E também sobre a mistura com novos sons. Quero levar o rap para lugares em que ainda não chegamos, mostrando nossa força e também conhecendo novos ares, experimentando e explorando novas musicalidades!”, conta Edi Rock sobre material.

Se em “Contra Nós Ninguém Será”(2013) seu disco antecessor, o músico reunia uma seleção do rap nacional que vai desde os companheiros de Racionais a Helião, Sandrão, Emicida, Flora Matos e outros, em OrigensEdi Rock busca se conectar também a outros estilos e gêneros musicais, e por isso o álbum conta com participações especiais de Xande de Pilares, Barbara Bivolt, Haikaiss, Simone Brown, Mc Pedrinho e outros.

Álbum “Origens” Edi Rock

Apesar das aberturas auditivas, a voz forte da Norte deixa claro que o processo de mudança em sua música acontecerá de forma gradual e autêntica. Como disse o próprio Edi Rock, “Chegou a hora da gente falar um pouco mais do que a gente sempre falou, mas sem ‘abrir as pernas’, nem perder o norte”.

 

Deixe uma resposta