Dirty Lion volta à cena com “A Morte dos Discos”, manifesto contra a industrialização da música


À meia-noite de 1º de junho de 2022 (quarta-feira), o rapper Leão Sujo libera o clipe “A morte dos registros” em seu canal no YouTube e redes sociais. Manifesto contra a industrialização da música, Leão Sujo reage à morte da originalidade na busca do padrão comercial. O músico divide a direção do vídeo com Renato Medeiros. A faixa é produzida por Tiu Cris.

O padrão estético do mercado atual incentiva os artistas a fazerem mais do mesmo para se adequarem a receitas prontas”, aponta Leão Sujo. “Isso faz com que os artistas esqueçam o lado mais puro e legítimo da arte, a originalidade, o visual interno.“, ele adiciona. A data de lançamento do vídeo coincide com a estreia de soneca em 1999, quando a ferramenta de democratização musical revolucionou a indústria.

O cantor e compositor levanta a questão se realmente ouvimos o que nos move ou o que aparece repetidamente em nossa mídia. Na arte, ele vê a libertação, como a letra de “a morte de discos“:”Aprendi que aqui posso ser o que eu quiser / e que a música sempre contou histórias, né? / De geração em geração é poder, transformação, né?”. Para nos transformarmos através da música é preciso despertar a mente e os ouvidos para o novo, o diferente, a descoberta.

Comentários Facebook