“Cabe Em Um Olho e Pesa Uma Tonelada” contos que vêm do interior na nova obra de Jeff Ferreira


Jeff Ferreira está de volta em sua nova obra, livro que dá continuidade à proposta do autor baiano Paulo Brasilque em 2021 lançou “Histórias, Registros e Escritos” e iniciou a coleção “Contos da Quebrada”, com histórias ambientadas nas ruas distantes dos cartões postais do país.

Seguindo a famosa frase do poeta do rap nacional, GOonde diz: “Periferia é periferia em qualquer lugar”, Jeff nos apresenta cinco contos ambientados na periferia do interior de São Paulo. Dentro “Cabe em um olho e pesa uma toneladaSão abordados o sonho de viver da música, os desafios da classe social menos favorecida, o desemprego, a fome, a homofobia na quebrada e o futebol como válvula de escape para as mazelas promovidas pelo Estado.

Na nossa universo do guetoo canto afiado tem lado”, ou melhor, a literatura de combate tem um lado.

E eis que a coleção “Contos da Quebrada” dá luz ao segundo volume desta coleção-guia, que são verdadeiros passaportes pelo brasileiro atravessado por histórias fictícias (mas isso pode não ser) aqui apresentados por nossos contistas, autênticos escribas de narrativas reais, ora apresentados como testemunhas oculares, ora também como personagens.

Porque na ravina é assim, testemunha e personagem dividem espaço dentro do tema, às vezes a linha que separa um do outro é tênue e em outras não existe. Seguindo a proposta da publicação anterior (“Histórias, Registros e Escritos”), no volume 2 da coleção: “Contos da Quebrada“, o escritor Jeff Ferreira nos dá: “Cabe em um olho e pesa uma tonelada”. Contos aqui reunidos pelo autor que não usa filtros para agradar a lente de leitores sensíveis.

As falas do contista podem ser classificadas como Literatura Hip Hop, marginal e divergente, é tudo isso, sim, mas não só isso. A potente experiência literária, quase cinematográfica que você terá ao escolher avançar pelos seguintes escritos não lhe dará nenhuma garantia de que sairá “ileso” ao final da leitura.

Jeff Ferreira é uma das grandes narrativas marginais de sua geração e seu texto vai de um extremo ao outro, sem meio-termo. É quente quando tem que ser, mas também é frio quando você acha que é necessário, nunca morno. Mesmo sendo contos ficcionais, o autor nos apresenta histórias fortes, nem sempre com finais felizes, mas sobretudo narrativas sinceras. E por não abrir concessões sobre sua produção, Jeff permanece independente e marginal.

Paulo Brasil

O livro é mais um lançamento do Editora entregando a carta, selo voltado para a literatura Hip Hop. A editora é responsável pela edição (revisão, layout e capas) e as ilustrações internas foram feitas pelo próprio autor, Jeff Ferreira ilustra cada um de seus cinco contos com desenhos originais que ajudam a transmitir a atmosfera das histórias.

Este é o quinto livro publicado pela Jeff Ferreirao primeiro com contos e o segundo com o Editora entregando a carta. Ferreira Ele também é o autor das ilustrações que compõem a obra. Seus livros anteriores foram: “Manguebit – A Revolução da Lama”, “Underworld of Sound Entrevistas – Ano Um”, “30 Anos de Disco Hip Hop Cultura de Rua” e “Assim É – A História de RZO”.

Comentários Facebook