Brisa Flow fala sobre amor e coragem entre pessoas originárias em “Making Luv”


o artista original fluxo de brisa lança no dia 13 de maio o single “Fazendo Amor”, que precede seu terceiro álbum, “Janequeo”, marcado para o início de junho. A música, com batida do americano tidus e participação de Ian Wapixanafala sobre o carinho entre os nativos.

A música surgiu quando Tidus, um beatmaker e MC de Las Vegas muito talentoso, me encontrou na internet e me disse que queria produzir uma música comigo. Quando ele me mandou esse instrumental, eu me emocionei e senti vontade de fazer uma música e gravar um clipe com originárias protagonizadas pelo carinho, pois infelizmente não vemos isso em videoclipes. Não vemos corpos de indígenas se relacionando em conteúdos audiovisuais e isso é reflexo do colonialismo que não quer que sejamos felizes. Ainda vivemos em Abya Yala o genocídio dos povos nativos que matam para minerar e vender terras, destruindo culturas, línguas e saberes nativos. Diante desse cenário violento, a prática do afeto entre indígenas torna-se um ato político. Quando escrevi “Making Luv”, é uma música sobre o amor em seus significados mais íntimos de companheirismo e coragem.”.

Gravado em uma reserva de Mata Atlântica, em parceria com o coletivo Mi Mawai, o audiovisual ilustra o entrelaçamento de corpos por meio de tranças e seu movimento com a terra e as águas, como práticas de amor não-coloniais. A construção da obra ocorreu de forma horizontal e coletiva e a harmonia da experiência se reflete no resultado.

Eu já havia trabalhado com Mi Mawai antes, o coletivo é aliado dos artistas originais. Fiz a trilha sonora de um documentário que fizeram sobre direitos autorais na música indígena”, explica Brisa. “O que muita gente não sabe é que Ian e eu não estávamos namorando naquela época. Nos conhecemos como colegas de trabalho no MECAInhotim, mas começamos a nos relacionar depois desse videoclipe”.

Comentários Facebook